Conheça a tartaruga ‘punk’ que respira pelos órgãos reprodutores

Conheça a tartaruga ‘punk’ que respira pelos órgãos reprodutores

Tartaruga de cabelo verde pode respirar pela genitália.
Nas corredeiras do Mary River, sudeste de Queensland, Austrália, vive uma das espécies de répteis mais exóticas e ameaçadas do mundo, segundo o ranking da Sociedade Zoológica de Londres.
São as tartarugas Mary River (Elusor macrurus), animais que se destacam até mesmo na fauna australiana (que já é pra lá de bizarra).

Elas são conhecidas pela pelagem verde no topo da cabeça e por conseguirem usar sua cloaca, cavidade que funciona como genitália em diversas espécies, para respirar.
É claro que elas não a usam para isso o tempo todo mas, para uma espécie que é capaz de ficar submersa por até 72 horas, contar com um outro órgão para captar oxigênio é sempre bom.
Além da aparência curiosa, o réptil também tem uma evolução biológica notável. Enquanto nós nos distinguimos de nossos “parentes” mais próximos há 10 milhões de anos, as tartarugas Mary River divergiram das outras espécies há 40 milhões de anos.

Ameaça de extinção

Desde os anos 1970, a população dessa espécie tem caído. A ameaça de extinção é resultado de anos de construções de represas no habitat natural das tartarugas, que também tiveram seus ovos coletados por mais de 20 anos para que fossem vendidos como pets.
Elas também demoram para atingir a maturidade sexual. Alguns exemplares começaram a se reproduzir apenas aos 25 anos.
As tartarugas Mary River estão na 31º posição da lista de espécies de répteis em extinção da Edge of Existence, programa de preservação da Sociedade Zoológica de Londres. Atualmente, outras organizações estão trabalhando para que a espécie sobreviva.

Animal de estimação
Segundo o departamento de Meio Ambiente da Austrália, a queda no número de animais se deu por causa da popularidade da tartaruga como animal de estimação nos anos 70 e 80. O animal só foi reconhecido como uma espécie distinta em 1994.
“A tartaruga Mary River leva um tempo excepcional para atingir a maturidade sexual, com indíviduos que não acasalam antes dos 25 anos”, diz nota da Sociedade Zoológica de Londres.
A destruição do seu habitat natural, com a construção de barragens, e a venda dos ovos para o mercado de animais de estimação tiveram impacto na preservação da espécie.
Lista de répteis
“Os répteis costumam ser preteridos quando o assunto é conservação de espécies se comparados com aves e mamíferos. Assim como tigres, rinocerontes e elefantes, é vital que façamos o máximo para salvar estes animais únicos. Muitos dos animais nesta lista são os únicos sobreviventes de linhagens mais antigas”, disse Gumbs.

A lista EDGE of Existence tem 100 répteis e mostra suas respectivas condições de conservação. Criada em 2007, a lista já publicou anfíbios, aves, corais e mamíferos. Agora, foca em répteis.
Cada espécie ganha uma classificação que analisa seu risco de extinção baseado em o quão isolada está e quão única é a espécie. Atualmente, a tartaruga Mary River ocupa o número 30 do ranking.
Fonte:
https://g1.globo.com
Referências:
http://www.iflscience.com
https://revistagalileu.globo.com/
The New York Times
Edge of Existence
Leia também:
Conheça a lesma-do-mar verde, o animal capaz de fazer fotossíntese,
Conheça 3 casos raros e impressionantes de quimerismo em animais
Conheça o maior e mais pesado peixe ósseo do mundo


Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *